Churrasco

 

No Brasil, churrasco se refere a toda carne assada na churrasqueira ou no estilo fogo de chão, quase sempre em grandes espetos, na região sul, e grelha nas outras regiões.

Para o fogo, o uso de carvão é o mais comum, pela praticidade e facilidade de compra, porém os mais tradicionalistas defendem o uso da lenha. Existem também churrasqueiras a gás, pouco utilizadas por interferir no tradicional sabor do assado.

O tempero varia conforme o gosto e o costume local, podendo ser simplesmente sal grosso ou refinado, até as mais elaboradas fórmulas. De longe, a carne bovina é a preferida, mas também são muito apreciadas as carnes de origem suína, ovina, de aves, além de embutidos, como a linguiça.

No Brasil os ingredientes mais utilizados são:

Bovinos: picanha, costela, maminha, fraldinha, alcatra, filé, contrafilé, vazio (principalmente no sul), entre outros cortes;

Suínos: pernil, paleta e costeleta.

Carne ovina: costela,paleta e pernil.

Carne de frango: cortes de frango, como coxa, sobrecoxa, peito e asas.

Acompanhamentos: salada, salada de batata com maionese, pão, linguiça, farofa, molho, entre outros.

 

Abaixo,  Márcio Coqui, um apaixonado por carnes na brasa, dá 8 dicas exclusivas para o preparo de um bom churrasco tradicional.

 

1. Antes de começar a pensar em fazer o churrasco, precisamos pensar na carne que será servida: Alcatra, Contrafilé, Maminha, Fraldinha, Costela, Picanha... muitas possibilidades para que ocorra um bom churrasco;

2. Após a escolha da carne, também é preciso escolher um bom carvão. Eu particularmente prefiro as embalagens maiores pois nesses pacotes o carvão vem mais inteiro. Um outro ponto a ser observado é reparar a umidade do saco de carvão, se ele estiver com aquele aspecto de molhado, não compre;

3. Todo churrasco que se preze, precisa ter aquela cervejinha extremamente gelada! E claro o refrigerante ou suco pra quem não ingere bebida alcoólica. Uma caipirinha também é uma boa pedida;

4. Para acender o fogo, faça uma “cabana” com os pedaços de carvão e no meio coloque um pedaço de papel embebido com álcool (cuidado com aquele álcool que possui mais água do que álcool). Atualmente estou optando mais pelo acendedor pela sua praticidade. Assim que o carvão “pegar”, é a hora que a brincadeira começa;

5. O churrasco sempre demora para ser servido dependendo da quantidade, e com isso precisamos ter a "entrada", o petisco antes do prato principal para oferecer às visitas: O famoso pãozinho de alho é o aliado nessa hora - rápido e prático. A linguiça também assa facilmente na brasa;

6. O tempero da carne é o mais simples possível: apenas sal grosso. O que varia é a quantidade de sal, que é relacionado ao tamanho do pedaço que irá ao fogo. Já o frango, é interessante temperar com outros ingredientes como o limão, pimenta, alecrim, orégano... Obs.: É fundamental bater na carne para retirar o sal em excesso.

7. Cada um tem seu gosto do ponto da carne. Seja mal passada, ao ponto ou bem passada e nesse caso vale mais a atenção para não perder o ponto.

8. Assim que a carne ficar no ponto desejado, é preciso também se atentar ao corte da carne. Antes de mais nada, a faca deve estar afiada para que o corte seja bem-sucedido. É fundamental identificar a posição da fibra e realizar o corte transversalmente. Se esse cuidado não for tomado, a carne fica dura. 

Seguindo essas dicas básicas, não há como o churrasco dar errado.

 

Fonte:

Márcio Sant' Ana Coqui 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Churrasco

 

 


















guiadopaladar.com.br

© Copyright 2013 • Guia do Paladar - Guia de Restaurantes, Churrascarias e Points do Rio de Janeiro.

Menu Destaques

Menu Artigos

Menu Agenda Gastronômica

Menu Dicas do Chefe

Menu Reportagens do Guia